SALA DE LEITURA DA EAT

SALA DE LEITURA DA EAT
Vê-se CS Lewis no Quadro Central, ladeado por seus livros, o Busto de MacDonald à direita e a "Vela do Saber" acesa.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Até onde chegou o fanatismo anti idolatria do Protestantismo



Como sempre dizemos em relação à Reforma Protestante, ela errou justamente por ser “reforma”, pois reforma opõe-se a “conservação”, bandeira número 1 do conservadorismo, que luta pela manutenção dos valores morais cristãos mais antigos, aqueles encabeçados pelos 10 Mandamentos de Moisés. Todavia errou sobretudo quando, abrindo um ferida purulenta no Corpo de Cristo (que é a “Igreja”, Noiva do Senhor), levou todo o Cristianismo a amargar um perigosíssimo relativismo no mundo cultural e social da modernidade, culminando subsequentemente com a eclosão de um sem número de denominações que se intitulam “cristãs”, dentre elas as aberrações doutrinárias das Testemunhas de Jeová, o politeísmo insidioso do Mormonismo, o legalismo judaizante do Adventismo e até o teatro de marionetes do Neopentecostalismo, que culminou na urdidura da Teologia da Prosperidade (a qual traz de volta a venda do sagrado que a Reforma dizia combater!). E pior, com o passar dos anos e o arrefecimento dos ideais luteranos, cada líder agora “solto na buraqueira”, ia fundando igrejas novas cada vez mais “loucas”, loucas varridas e vendidas, cujo futuro as levaria a naufragar nos mesmos pecados que motivaram o início da Reforma. Pior, até a bandeira insípida da acusação de idolatria por parte do Catolicismo (que em princípio apenas dignificou a arte sacra) foi espichada até o gogó, pois uma das igrejas filhas da Reforma acabou entendendo como “idolatria” QUALQUER RESQUÍCIO DE HUMANIDADE que Deus sofreu horrores para defender, e com isso condenou até datas de aniversário, festas de aniversário, presentes de Natal, casamentos entre cristãos de denominações diferentes, servir à Pátria, transfusão de sangue e outras dádivas de Deus, que agora são tidas como pecados de “idolatria” e mundanismo dentro da igreja, que nem mais possui este nome. Os protestantes mais espertos saberão que me refiro às tresloucadas Testemunhas de Jeová, as quais, além de tudo isso e muito mais grave, negam a divindade de Cristo e com isso aniquilam toda possibilidade de salvação de seus membros, os quais quase sempre terminam em depressão e suicídio (ambos abafados pela mafiosa Torre de Vigia). Enfim, irmãos, é preciso sentir a dor que Jesus sente quando vê sua Noiva toda despedaçada, seu vestido rasgado, sua pele carcomida, seu cheiro ora insuportável, e ainda, com a acusação incoerente de estar imunda, quando são as demais igrejas que a sujam – julgam – quando ela toma banho e tenta se apresentar com novo perfume. Uma tristeza só, que faz molhar os olhos do Senhor! Idolatria católica? Ora, quem não é idólatra? (Pergunta a Torre de Vigia: você responde?)...

segunda-feira, 10 de abril de 2017

A vigilância anti presunção é urgentemente necessária



Certamente o mais estranho e doentio fenômeno social de nossos dias acontece da seguinte forma, em argumentação ligeira. Há alguns séculos atrás (talvez há pouco mais de 60 anos), era raro encontrar uma pessoa que, chegando de repente no meio de uma discussão – ou de uma exposição – de um tema que até então não participava, entrasse no assunto já dando sua opinião ou cantando de galo, ao invés de OUVIR primeiro para depois opinar. Ou seja, parecia haver uma espécie de “espírito de atenção” (para não dizer “humildade discipular”) com o qual o recém chegado se postava sem precipitação, entrando quieto e ouvindo o que os presentes já estavam conversando antes de sua chegada. E mais ainda, que o recém chegado parecia ter PRAZER DE OUVIR a conversa, mesmo quando o assunto aparentemente não estava contido em seu cardápio de preferências intelectuais ou culturais. A chegada em silêncio era praxe e norma tácita tanto em ambientes escolares/acadêmicos, quanto em conversas tratadas dentro das casas, quando as famílias estavam reunidas trocando ideias. Enfim, aquele comportamento “silencioso” de audição atenciosa praticamente ditava toda a Educação intrínseca das pessoas, alfabetizadas ou não, e por isso havia muito mais ambientes tranqüilos para diálogos, quanto situações de paz social, com o efeito de produzir toda uma atmosfera sadia para o desenvolvimento psíquico e intelectual. Todavia alguma coisa mudou, e mudou gravemente, para pior. E encontrar as causas da mudança é um tremendo desafio, o que nos leva a aventar hipóteses sem estar livre de dúvidas pontuais. A saber: (1) pensamos tratar-se da escalada inexorável da depravação mundial, a qual, a partir da desobediência bíblica, leva cada alma a se achar “poderosa”, com opinião igual ou superior aos outros, e por isso não necessitando ouvir mais a ninguém acima de ninguém; (2) pensamos tratar-se de mero resultado da ansiedade de uma era de desespero, na qual todas as almas se vêem espiritualmente solitárias, sobretudo na satisfação de seus desejos pouco castos, e por isso a ansiedade atiça o “centro da fala” e a pessoa chega já acossada para falar e ser ouvida; e, por fim (3), pensamos tratar-se do resultado de um longo tempo de exposição às seduções degenerativas da Mídia a serviço do Comunismo, a qual gerou a ilusão de igualdade que garante a inexistência de uma Lei Moral, e sem ela TODAS AS OPINIÕES individuais ganham poder, e por isso todo mundo agora “se acha”, e se acha no direito de opinar sobre qualquer assunto, mesmo um que ela desconheça ou do qual não estava participando. Daí que a pessoa entra na sala e solta a sua opinião, muitas vezes um total desatino ou em total descompasso com o tema, muitas vezes até faltando com a verdade, e tão somente porque não soube ouvir e foi acostumado a falar de assuntos que nunca estudou! Eis aí o quadro atual, 100% diferente de épocas passadas, onde a cultura e o saber alheios eram respeitados, e onde as pessoas realmente APRENDIAM nas conversas e com as conversas, como o próprio Jesus também “aprendeu” conversando com os doutores. Fica aí a denúncia para olharmos para dentro de nós.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Agora entendo porque Deus sempre defendeu o Reino Unido



Num daqueles achados surpreendentes do destino, acabei fazendo uma descoberta impressionante para minhas crenças pessoais, vinda de uma fonte inesperada, por ser ela um homem que milita mais na área da política do que da Teologia em si. Refiro-me ao sincero e espirituoso José Márcio Castro Alves, de quem eu confesso jamais prever que viesse uma “inspiração” tão peculiar ao corpo doutrinal de minha fé cristã (excluindo a crença de Zé Márcio na “terra plana”), como o leitor poderá verificar agora. Imagine o leitor que “Zé Márcio”, por ser um direitista anticomunista convicto e batalhador, e por nutrir uma certa paixão pelas tradições do Velho Continente, encontrou um vídeo onde Margareth Tatcher (já na sua época) se colocava contra a União Europeia, contra a moeda única do Euro, contra a islamização da Europa, contra, enfim, qualquer sinal de esquerdização do Ocidente e a favor do que hoje conhecemos como “Brexit” (a vitória dos conservadores ingleses contra a participação do Reino Unido no Mercado Comum Europeu e noutras “marmotas” socialistas). Ora, no vídeo supracitado, assista ele AQUI, Zé Márcio conta que sempre foi um admirador da Tradição do Povo Britânico e chama a nossa consciência para entender a razão do Brexit e o valor de cada nação europeia independente, separadamente, como único meio de impedir a islamização do Velho Continente. Enfim, nossa visão se abriu para enxergar a participação de Deus neste tabuleiro intrincado da política internacional, e deixou realçada a certeza de que o Senhor dos Exércitos luta por seu povo aonde quer que ele esteja, mas sobretudo se estiver com os pés fincados na Terra Santa (Israel) ou na “Insula Angelorum”, que é o nome antigo da Etimologia para “Inglaterra”. E aqui, sem dúvida, CS Lewis “tremeu no túmulo” (no ditado popular), ou seja, Jack se levantou na Glória para aplaudir de pé a boa consciência de Zé Márcio, um valoroso brasileiro com coração britânico...

segunda-feira, 20 de março de 2017

Mudança na periodicidade de nossos blogs e sites



Como os prezados visitantes devem ter notado, a Direção dos sites e blogs “Escola de Aprofundamento Teológico” e “Casamento-a-Três” alterou a periodicidade das nossas publicações de artigos e comentários, por motivo de força maior. O problema por nós encontrado se refere ao fato de que, após 10 (dez) anos de presença ininterrupta da grande Rede, todas as credenciais de nossas crenças já estão devidamente publicadas e repassadas aos nossos visitantes e amigos, não havendo mais quase nada para acrescentar ao nosso “corpo doutrinal ou ideológico”, exceto quando em razão de alguma dúvida levantada por alunos nossos ou visitantes “curiosos”, que tanto nos honram. Assim sendo, e porque todos os nossos artigos e livros figuram perenemente na WEB para quem quiser nos conhecer, e também para dedicarmos tempo integral à publicação de vídeos no Youtube (ferramenta muito mais simples e mais capaz de alcançar multidões), alteramos os prazos de nossas publicações da seguinte forma:
(1º) As publicações de artigos deste Blog serão feitas a cada 10 (dez) dias, preferencialmente nos dias 1, 10, 20 e 30 de cada mês, exceto em razão de força maior.
(2º) As publicações de artigos do Site da EAT (www.e-a-t.info) continuarão sendo postadas a cada 15 dias, até nova ordem, de preferência nos dias 1, 15 e 30 de cada mês ou 1, 15, conforme o caso.
(3º) As publicações de artigos do Site “Casamento-a-Três” (www.casamento-a-tres.com.br) passarão a ser mensais, de preferência no primeiro dia de cada mês, ou no segundo.
Isto posto, e ao mesmo tempo em que o informamos, ampliamos pontualmente apelos pelo envio de respostas e comentários aos artigos neste Blog e nos sites citados, pelos quais encontraremos muito mais prazer e inspiração para redigirmos textos completos em resposta, como sempre fizemos. Finalmente, e em compensação, nossos canais no Youtube estarão mais municiados de vídeos semanais ou no máximo quinzenais, com matérias pontuais em resposta a comentários, ou em atendimento a pontos difíceis de nossa fé, ou como resultado de inspirações oriundas de nossas pesquisas na Internet em geral. Enfim, agradecemos a todos pela compreensão e apoio aos nossos trabalhos. Nossos canais no Youtube são:
A Direção.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Deus fez um animal imortal ou por que a Entropia parece não deter este bicho?



O que é a imortalidade lá no dicionário de Deus? Seria alguma coisa física, tridimensional, tão fraca quanto nós, sobreviver indefinidamente, sem chegar a morte alguma? Ou quando a Ciência fala de imortalidade quer dizer “imortal enquanto dure o planeta e as condições atuais”? Enfim, as notícias dão conta da descoberta de um tipo de MEDUSA, um animal aquático (tão aquático que seu corpo inteiro é praticamente “água viva”) encontrado em quase todos os oceanos do mundo, com o qual a Ciência não descobriu qualquer extinção, tanto dentro da espécie quanto nos indivíduos dentro dela, o que nos leva a imaginar alguma coisa neste planeta “não sujeita à entropia” ou à ‘Lei de Murphy’. Ora; qualquer objeto ou ser vivo que pudesse durar para sempre (ou enquanto durar o planeta) estaria frontalmente opondo-se à entropia cósmica, resultado do planejamento divino da Criação da matéria tridimensional, o que em si só resulta em tremendo mistério, alicerçado em duas premissas: (1ª) Ou a entropia seria um resultado aleatório da Criação, como alguns desastres são efeito de “coincidências”, e não alcançaria necessariamente toda a matéria; ou (2ª) Deus teria planos intercalados no meio do plano original da criação, permitindo que algumas poucas coisas durassem para sempre, e a maioria não – incluindo nós homens após a Queda. Enfim, está aí um mistério estrondoso que nossos leitores poderão confirmar no Blog do Philipe K. David (veja AQUI) e que responsabiliza enormemente os teólogos cristãos em sua tarefa de facilitar a inteligibilidade humana. Resta a nós desta Escola lembrar a fascinação que CS Lewis tinha por todos os mistérios deste e de outros mundos, e da lição que deixou para nos estimular a também buscarmos respostas para tudo, em obediência à instrução de Jesus que dizia: “Observai as aves dos céus” (veja que “aves” ali pode muito bem ser “UFOs”); observai os lírios do campo (podem ser medusas da água); observai nas figueiras que parecem cogumelos nucleares; observai as árvores, que também podem ser “pessoas”, pois um cego curado por Jesus, antes de sua cura definitiva, confessou estar vendo as pessoas com aparência de árvores. Enfim, são esses enigmas maravilhosos um dos maiores segredos do amor pela Verdade.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Excelente informação científica desmente os “reencarnacionistas”...



Uma reportagem bem recente, com ótima síntese de um estudo científico, nos parece dar o golpe de misericórdia na teoria da reencarnação, justamente naquilo que os reencarnacionistas mais alegam ser prova de vidas passadas, a saber, as estranhas memórias de experiência vividas antes de nosso nascimento (o leitor deve ler a reportagem depois deste comentário: por favor leia AQUI). Com efeito e a rigor, a complexidade da memória humana é tão abissal ou profunda que a mera investigação de uma lembrança deveria suscitar os mais minuciosos estudos, sem contar que deveria abordar a própria infra estrutura do cérebro, a constituição da mente, a capacidade de memorização do espírito e as evidências de propagação social das vivências humanas, naquilo que os técnicos chamaram de “memória coletiva”. Enfim, é um verdadeiro ‘labirinto de minotauro’, com seus mil e um túneis escuros, onde cientista algum jamais deu uma resposta definitiva ou 100% segura em sua totalidade. Neste sentido, com tão medonho labirinto existindo entre o pesquisador e o pesquisado, e entre a pesquisa e os estudantes, não há nada a acrescentar para provar o óbvio: tudo o que ocorreu antes de nós está oculto sob as densas trevas do desconhecimento e até da incapacidade de apreensão das realidades passadas, e as “notícias” que nos chegam aos borbotões não nos dão garantia alguma de suas circunstâncias e origens, cabendo a qualquer sábio a humildade perante o mistério. Ou melhor, cabendo a humildade de reconhecer o mistério profundo de suas próprias lembranças individuais (mesmo aquelas vividas no dia anterior ao hoje, ontem mesmo), quedar-se pasmo diante da imensa ignorância que as memórias coletivas adicionam à memória planetária como um todo, e o inconsciente coletivo de Jung deve ser encarado até como “simples ninharia” diante da rocambolesca complexidade da mente humana, entendida como um todo em conjunto espiritual com o planeta inteiro. Neste sentido, qualquer sábio deveria reconhecer que tão grande mistério (o da memória individual e coletiva, que vara toda a história do tempo) torna inconsistente, pobre, incoerente e até desnecessária a crença na teoria da reencarnação, pois o mais provável infinitamente mais provável é que, com tantas memórias individuais – perdidas ou recuperadas por nosso “mecanismo-resgatador-falho” – e incontáveis memórias coletivas (também perdidas da noite dos tempos), não há razão lógica alguma para acreditar que nossas lembranças de supostas vivências constituam qualquer prova razoável de vidas passadas, porquanto não passem de enxertos de emoções intrometidas na nossa genética, por conta da estranha “transmigração mnemônica” agora provada em laboratório. Enfim, eis aí chegada a verdade pela Ciência, que os espíritas fraudulentamente chamavam para si, enquanto Deus permitia a ignorância que um dia Ele mesmo iria debelar. Viva o Senhor da Verdade!

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Pior: A ignorância produz loucura e vice-versa...



Há muito tempo esta Escola vem dizendo e alertando que, a continuar o mundo girando e chafurdando em cima do pecado como tem feito desde Sodoma para cá (e hoje pior que Sodoma devido à Mídia de massas e a manipulação desta por comunistas), o resultado prático será um planeta inteiro de psicóticos, dando razão ao saudoso Dr. Joacilo Pontes que dizia “o mundo é um gigantesco hospital psiquiátrico”. E não é mesmo sem razão, pois Deus jamais fez a mente humana para sobreviver em ambiente de desordem, sobretudo desordem moral, onde o final de todos os atos seja a distorção da verdade naquela célebre profecia bíblica que diz: “ai daqueles que chamam o bem de mal e o mal de bem”. Interessante notar que, aqui mesmo no nosso Brasil, portanto algo ocorrendo bem debaixo dos nossos narizes, virou moda e ficou chique o cafajeste roubar desbragadamente a nação, desviar verbas até de hospitais e merenda escolar e depois posar na TV dizendo estar sendo perseguido e injustiçado, e que os homens de bem que o estão processando na Justiça é que seriam os bandidos, pode? Pois bem. Acreditem os irmãos e amigos que agora, neste último dia 10 de fevereiro de 2017, a Revista EXAME traz uma oportuna matéria da colunista Marina Demartini, a qual está intitulada com a frase “Estudo sugere que 83% das pessoas sofrerão com doenças mentais” (Confira AQUI)... E a realidade para a qual ela aponta é por demais devastadora para quem tiver um mínimo de juízo sadio, uma vez que a saúde mental é, para os ajuizados, o bem mais precioso deste mundo, muito além da própria saúde física. É claro que a matéria trata os conhecidos problemas psíquicos do homem pós-moderno (TOC, Depressão, Esquizofrenia, etc.) com muito mais ênfase do que os trataria um grande mestre cristão do passado, pois para o Cristianismo o problema reside não na doença mental em si, mas no pecado que traz a doença. E neste particular há um agravante terrível, a saber: é que as doenças físicas (também resultado do pecado) logo logo dão as caras e qualquer um pode ver seu raio de ação na pele dos pecadores, como o enfisema no pulmão dos fumantes, a AIDS no sangue dos homossexuais e a gordura absurda no corpo dos que cometem o pecado da gula. Enfim, enxergar tais efeitos é fácil para qualquer um. Porém, quem vai enxergar os distúrbios mentais muitas vezes sutis entrando na vida de pessoas aparentemente pacatas, educadas e sem maiores escândalos em suas vidas? Eis porque é tão sério o caso apontado pela matéria de Demartini, acerca do estudo levado a cabo pelo Journal of Abnormal Psychology, na Nova Zelândia. Enfim, fica aí mais este alerta pela conduta na ordem e na decência para o bem da sociedade, conforme o desejo de Deus pela santidade do Homem expresso nas Escrituras Sagradas.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Longe de Israel, a ignorância campeia solta!



Dilma dando aula de "Meteorologia"...

Um estranho consolo transparece emergindo do submundo da política, quando temos paciência e saco para ouvir “os teóricos da Esquerda” a propalar suas (in)verdades aos quatro ventos, como de resto o nosso país se tornou um vergonhoso exemplo da indigência mental do mundo. Aliás, num país de (semi)analfabetos como o nosso, a ignorância extrapola todas as fronteiras e chega até a ganhar ares de sapiência, sobretudo quando as multidões – igualmente ignorantes – saem a aplaudir os discursos mais cretinos (até sobre Bíblia e Teologia), e pior, passam a acreditar estarem seguindo o caminho certo, pois, segundo a mídia venal espalhou: “se a multidão segue aquilo, então aquilo só pode ser bom!". Este é o ponto onde os caminhos se cruzam em alto relevo no mapa mundi e é nele que um olhar para Israel faz jorrar toda a alegria em lágrimas, pois este planeta ainda verá Israel a combater SOZINHO os vermes da ignorância, cuja única intenção é fazer subir, pelas paredes do abismo, os esgotos do inferno, onde baratas e falsos profetas convivem com todos os “mestres” da mentira. E mais, não estamos nem raciocinando apenas em termos de ignorância política acerca dos sistemas e regimes de governo. Estamos apontando para o fato de que a sabedoria de Israel, conquanto o mundo não aplauda o seu aparente corporativismo, ultrapassa todas as fronteiras da Ciência, e algumas fontes já nos informaram que até a construção dos satélites espiões de Israel é muito mais esmerada e gabaritada, sendo os satélites israelenses os mais precisos na detecção de invasões e ameaças. A própria Ciência (aqui me referindo sobretudo à Física e à Astronomia), no “Estado Judeu”, cavalga a rápidas galopadas e a par e passo com as melhores universidades americanas, importando e exportando os melhores profissionais especializados em suas áreas técnicas (os técnicos filhos de Israel nem brigam tanto por bons salários, tal o amor que nutrem pela Terra Santa!). E Israel ainda tem um último trunfo: o avanço da ciência no meio deles não está nem nunca esteve ameaçado por qualquer escola teológica do Judaísmo, pelo contrário, as pesquisas científicas dos teólogos judeus tem auxiliado o alargamento da visão espiritual do Judaísmo, ajudando até no entendimento da Parusia e da chegada do Messias! (Ao contrário de outras religiões, onde a Ciência já foi vista como inimiga e onde ela ainda é censurada como uma nova seita herética). Até na Ufologia Israelense os avanços são notáveis, pois a casuística de lá não apenas espanta pela singularidade das aparições, mas também pela qualidade dos contatos, muitos dos quais guardando inquietantes relações com a História Geral da Terra Santa. Enfim, viva Israel! Shalom!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Israel é sal da terra e luz do mundo!



Eis uma verdade que não pode mais ficar calada. Nossa época está a exigir a sua declamação em altos brados, como alguém que gritasse “Maranata!” para surdos! Porquanto quando qualquer discussão política começa e vai se desenrolando a plenos pulmões, não dura muito até que alguém diga, ignorantemente, que os Estados Unidos não são modelo para ninguém (e em certos aspectos não são mesmo!) e que a desbragada venda de armas em qualquer loja de varejo é um absurdo, porque não haveria nenhuma outra nação que tenha, em seu meio, tantas armas de tantos calibres nas mãos da população (ledo engano: pesquise sobre venda de armas na Europa). Entretanto e a rigor, sem entrar no mérito de outras nações onde seus cidadãos podem possuir armas em casa e guias de transporte, a verdade é que a alma americana entendeu perfeitamente (certamente uma herança do Cristianismo trazido pelos europeus) o antigo recado militar que diz: “se queres a paz, prepara-ter para a guerra”. E a bem da verdade, este mesmo recado se encontra nas entrelinhas da Palavra de Deus, e nem será necessário examinar o Velho Testamento, onde o Senhor dos Exércitos armava seus escolhidos até os dentes para as mais sangrentas batalhas, e os reis de Israel eram respeitados tanto quando tinham autoridade moral, tanto quando tinham exércitos bem armados. Todavia a ignorância gritará que o Novo Testamento aboliu as armas e que Jesus Cristo nunca falou bem delas, como se João não tivesse registrado que “o mundo inteiro jaz no maligno” e que “todos os reinos deste mundo pertencem a satanás”, que os tentou dar a Jesus no monte da Tentação! Jesus nunca falou bem delas? Você disse isso? 
Ora, você esqueceu do encontro de Jesus com o Centurião? Por que Jesus não lhe disse para abandonar o exército e as armas? Então, amigo, saiba de uma vez que o Nazareno chegou até a pedir para os apóstolos COMPRAREM armas (Lucas 22,35-36) para determinados tipos de missão, em sua presciência de uma grande guerra contra o império romano, que um dia iria se voltar contra a “nação santa” e assim tentar dizimá-la da face da Terra. Mas a nação santa nunca será dizimada! Ela é a única nação ESCOLHIDA por Deus para receber dele os golpes do oleiro para a perfeição da alma, e por isso o Senhor se desagradou de todas as outras nações da Terra! Mas aquela que protegesse Israel com seus exércitos, e ajudasse Israel com “dízimos e ofertas”, também seria abençoada e teria na Terra vida tão longa quanto a dos filhos de mãe judia! E o tempo que passou e chegou até nós apenas tem provado e comprovado esta verdade, a de que Israel é a única nação do coração do Senhor, e agora já começa a ser descoberta por quem tem olhos de ver e ouvidos de ouvir, como certamente é o caso de Geert Wilders, quando ele diz, noutras palavras, que Israel é uma tocha de luz no meio da escuridão! (confira AQUI a sua belíssima declaração). De fato, a julgar pela escalada da violência e da imoralidade sexual no mundo, não há outra coisa a nos pasmar, por assim dizer: “Israel se apresenta como um verdadeiro oásis de ordem e espiritualidade no meio do caos, e então está chamando todos os homens de bem a se juntar a ele, na grande profecia do retorno das multidões a Israel”. Enfim, quando o mundo todo estiver debaixo de dor e treva, brilhará a luz de Israel como uma cidade edificada sobre o monte, a qual estará a iluminar o único caminho que nos conduz para a porta estreita do Paraíso. Viva Sião! Que a paz reine em teus átrios para sempre!

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

A cada dia o Papa dá sinais de sua heresia pró-comunismo




O inimigo de Deus não poderia deixar de atacar Sua Santidade, o Papa, seja ele quem fosse, mas sobretudo se fosse um Papa com um coração “achegado” ao Comunismo/Socialismo (veja que o atual até pagou passagem para um marginal perigoso como o ‘Stédile’) ou que simplesmente fosse ignorante o suficiente para confundir “socialismo” com Cristianismo, como ele mesmo disse, quando defendeu que os comunistas pensam como cristãos (um absurdo! veja AQUI). Aliás, a verdade é que A IGNORÂNCIA NÃO PERDOA ninguém, nem mesmo o Papa, e é por isso que este planeta é tão cheio de segredinhos e segredões, e também por isso que Jesus disse “nada que está oculto ficará oculto” (Mateus 10,26). Mas a ignorância é um mal terrível, tão terrível que não poupa ninguém, e é desta forma que homens sábios (como o pr. Samuel Munguba, lembrado aqui por ter sido o mestre silencioso que sempre dizia “Deus nos deu duas orelhas para ouvir mais e falar menos”) geralmente são lacônicos, parecendo até ignorantes por raramente opinar, quando justamente aí demonstram sua sabedoria salomônica invejável. Num planeta opinioso e palrador, onde todo mundo opina sobre tudo (bando de metidos!), ficar calado ouvindo é perfeita saúde para a alma, além de gerar boa reputação perante os olhos de Deus. Mas voltemos ao Comunismo infiltrando-se cada vez mais na igreja católica. Vejam que o Papa Francisco está tendo problemas – por sua ignorância – até com velhas comunidades de cristãos, como a Ordem da Cruz de Malta, cujos valores se centram no conservadorismo cristão e nos 10 Mandamentos universalizados para a salvação das almas. Pior, sendo o pecado agora visível em ‘Sua Santidade’, todo o bom exemplo de testemunho cristão se perde por entre os dedos, e é por isso que vemos tantos padres apoiarem abertamente o Comunismo, como recentemente ocorreu no velório da ex-mulher de Lula, o grande criminoso do Brasil (confira AQUI o absurdo daquela ocasião patética, onde Lula usa um velório para fazer política rasteira e demagógica!). Enfim, dada esta flagrante penetração do Comunismo em todos os quadrantes do globo (até este termo ‘globo’ é comunista como a família Roberto Marinho), não podemos deixar de suspirar e concordar com os chamados “profetas da parusia” que agora já ganham muita força quando defendem a iminente chegada do antiCristo, como o último sinal da gloriosa volta do Senhor: vejam que Francisco já é chamado “o Papa da Nova Ordem Mundial” e com ele está vindo aí a aprovação do ativismo gay, da doutrinação erotizante das crianças e até do aborto! Cruz credo! Como diz o grande cantor ‘sertânico’ Elomar Figueira, certamente nós conservadores “descemos do trem na estação errada”, i.e., nascemos no século errado.